terça-feira, 26 de novembro de 2013

Homenagem a Ramalho Eanes


Confesso que não gosto de Ramalho Eanes. Não votei nele na sua primeira candidatura à presidência da República e na segunda o meu voto foi um voto útil, já que de modo algum poderia nada fazer para evitar que fosse eleito um candidato da Direita, naquela altura sedenta de ajustes de contas. No entanto, reconheço que Ramalho Eanes teve um papel importante na consolidação da Democracia em Portugal, quer no 25 de Novembro, quer depois como Presidente da República, cargo que exerceu de modo activo e interventivo, cumprindo e fazendo cumprir a Constituição. Ao contrário do actual Presidente, Ramalho Eanes não se limitou a estar em Belém a olhar para o Tejo a ver “passar navios”.
Um grupo de cidadãos resolveu promover-lhe uma homenagem. E eu não acho mal. Mas já não concordo com a data escolhida – 25 de Novembro. E tenho a certeza que a escolha da data não foi inocente, sobretudo nesta altura em que um dos lemas das contestações é a perda de conquistas do 25 de Abril, e tendo em conta alguns dos promotores. Muitos deles invectivaram Eanes aquando da sua recandidatura ao segundo mandato. É curioso, não é?

2 comentários:

500 disse...

Por mim, diria que foi, tem sido, um homem íntegro, acima de qualquer suspeita, o que não é pouco.

Henrique Antunes Ferreira disse...

Pereiróamigo

Eu, pelo contrário gosto. É realmente um Homem com caixa alta. Foi ingénuo no triste PRD. Mas, disse-lho em minha casa onde foi jantar (várias vezes) acompanhado da minha colega na Faculdade de Direito, Manuela Neto Portugal, por casamento Eanes.

Não fui à homenagem, porque estava numa consulta médica que se transformou num bate-papo até as duas da manhã. Mas, gostava de ter ido.